Indicados ao HUGO AWARDS 2021 | Conheça os finalistas

Indicados ao HUGO AWARDS 2021 | Conheça os finalistas

13 de abril de 2021

10minutos de leitura

No dia 13 de abril foram anunciados os finalistas para uma das principais premiações de ficção científica e fantasia da indústria, o prêmio Hugo (ou Hugo Awards), que leva esse nome por conta de Hugo Gernsback, inventor e editor da revista Amazing Stories, a primeira com foco total em narrativas de ficção científica. Desde sua primeira edição, em 1953, temos uma seleção do que há de melhor no gênero, passando pela literatura, quadrinhos, filmes, séries, e pela primeira vez, jogos.

Os votos são feitos pelos membros da World Science Fiction Society (ou Worldcon) e os finalistas de 2021 foram anunciados pelos autores e pesquisadores Sheree Renée Thomas, Malka Older e Ulysses Campbell. Vamos aos indicados da 68ª edição dos Hugo Awards, com alguns comentários rápidos sobre o conteúdo que assisti, e onde você pode encontrá-los.

Melhor Romance

* Alguns dos livros já foram lançados ou possuem distribuição confirmada no Brasil, então esses foram deixados com a editora original e a editora nacional, em itálico.

  • Black Sun, Rebecca Roanhorse (Gallery / Saga Press)
  • The City We Became *, N.K. Jemisin (Orbit) – Editora SUMA
  • Harrow the Ninth, Tamsyn Muir (Tor.com)
  • Network Effect, Martha Wells (Tor.com)
  • Piranesi *, Susanna Clarke (Bloomsbury) – Editora Morro Branco
  • The Relentless Moon, Mary Robinette Kowal (Tor Books)

Comentários: Da lista de indicados, dois romances já possuem distribuição confirmada no Brasil. A primeira delas é The City We Became, de N.K. Jemisin, que tem sido premiada praticamente todos os anos por conta de sua série A Terra Partida, que foi lançada por aqui pela editora Morro Branco. Mas dessa vez, a autora será publicada pela editora Suma, que tem focado no mercado de ficção especulativa com mais atenção nos últimos anos.

Além de Jemisin, Susanna Clarke e seu Piranesi foram confirmados pela editora Morro Branco, que tem feito um ótimo trabalho de trazer autores novos e relevantes para o público. Os outros livros ainda não possuem distribuição confirmada, mas dá pra ver que duas séries continuam fazendo bastante sucesso com o público, como Network Effect, da aclamada série de livros Murderbot Diaries, e The Relentless Moon, da série Lady Astronaut. Ambos tem estado presente nos últimos anos das principais premiações do gênero, e me surpreende que ainda não foram confirmadas por alguma editora por aqui.

Autora NK Jemisin, indicada mais uma vez ao Hugo Awards

Melhor Novela

  • Come Tumbling Down, Seanan McGuire (Tor.com)
  • The Empress of Salt and Fortune, Nghi Vo (Tor.com)
  • Finna, Nino Cipri (Tor.com)
  • Ring Shout, P. Djèlí Clark (Tor.com)
  • Riot Baby, Tochi Onyebuchi (Tor.com)
  • Upright Women Wanted, Sarah Gailey (Tor.com)

Melhor Noveleta

Para as noveletas disponíveis gratuitamente, é só clicar nos links. Todas estão na língua original.

Comentários: Com exceção da polêmica Helicopter Story, originalmente intitulada “I Sexually Identity as an Attack Helicopter”, e The Pill, que está disponível apenas de forma paga na coletânea Big Girl, da autora Meg Elison, todas as outras noveletas estão disponíveis para o público.

Melhor Conto

Para os contos disponíveis gratuitamente, é só clicar nos links. Todos estão na língua original.

Melhor Série Literária

  • The Daevabad Trilogy, S.A. Chakraborty (Harper Voyager)
  • The Interdependency, John Scalzi (Tor Books)
  • The Lady Astronaut Universe, Mary Robinette Kowal (Tor Books/Audible/Magazine of Fantasy and Science Fiction)
  • The Murderbot Diaries, Martha Wells (Tor.com)
  • October Daye, Seanan McGuire (DAW)
  • The Poppy War, R.F. Kuang (Harper Voyager)

Comentários: Mais uma vez, temos as séries Lady Astronaut e Murderbot Diaries nas mais aclamadas do ano, mas também temos John Scalzi com seu The Interdependency. Ainda não tive acesso aos outros da lista, mas parecem bem interessantes. 

Melhor Artigo / Ensaio

Para os artigos e ensaios disponíveis gratuitamente, é só clicar nos links. Todos estão na língua original.

Comentários: Desta lista, dá pra ver que temos um livro sobre Octavia Butler, o que é sempre bom, e o reconhecimento de alguns eventos relevantes, além de uma tradução nova de Beowulf e um artigo sobre a polêmica envolvendo a George R.R.Martin apresentando a premiação em 2020, que contou com o escritor de Game of Thrones errando o nome de participantes e cometendo outras gafes. A maior surpresa aqui é o vídeo de Jenny Nicholson, uma criadora de conteúdo que adoro, mas fiquei impressionado em ver reconhecimento por sua análise da comunidade de fãs adultos da série animada My Little Pony. Sério, vale a pena assistir, é um ótimo vídeo. 

Melhor Narrativa Gráfica (Quadrinho)

  • DIE, Volume 2: Split the Party, de Kieron Gillenn, Stephanie Hans e Clayton Cowles (Image Comics)
  • Ghost-Spider vol. 1: Dog Days Are Over, de Seanan McGuire, Takeshi Miyazawa e Rosie Kämpe (Marvel)
  • Invisible Kingdom, vol 2: Edge of Everything, de G. Willow Wilson e Christian Ward (Dark Horse Comics)
  • Monstress, vol. 5: Warchild, de Marjorie Liu e Sana Takeda (Image Comics)
  • Once & Future vol. 1: The King Is Undead, de Kieron Gillen, Dan Mora, Tamra Bonvillain e Ed Dukeshire (BOOM! Studios)
  • Parable of the Sower: A Graphic Novel Adaptation, de Octavia Butler (livro original), Damian Duffy e John Jennings (Harry N. Abrams)

Comentários: A prova de que eu estou completamente atrasado nas minhas leituras de quadrinhos é que, dessa lista, reconheci apenas três nomes, e só li um, o ótimo Monstress.

Melhor Dramatização, Longa (Melhor Filme)

  • Aves de Rapina / Birds of Prey (and the Fantabulous Emancipation of One Harley Quinn), de Cathy Yan (Warner Bros.)
  • Eurovision Song Contest: The Story of Fire Saga, de David Dobkin (European Broadcasting Union/Netflix)
  • A Velha Guarda / The Old Guard, de Gina Prince-Bythewood (Netflix / Skydance Media)
  • Palm Springs, de Max Barbakow (Limelight / Sun Entertainment Culture / The Lonely Island / Culmination Productions / Neon / Hulu / Amazon Prime)
  • Soul, de Pete Docter e Kemp Powers (Pixar Animation Studios/ Walt Disney Pictures)
  • Tenet, de Christopher Nolan (Warner Bros./Syncopy)

Comentários: Algumas ótimas escolhas, outras nem tanto. Por mais que o conceito seja interessante, Tenet foi Christopher Nolan demais pra mim, e não no bom sentido. Eurovision é divertido, mas assim como A Velha Guarda, poderiam ter dado espaço para filmes menores e melhores. Soul é ótimo, e Aves de Rapina foi um filme surpreendentemente equilibrado e bem dirigido em um DCEU cada vez mais confuso, mas de longe, a minha escolha de favorito para essa lista vai claramente para o divertido e criativo Palm Springs, que trouxe um enredo bem construído e um elenco ótimo, com Andy Samberg e Cristin Milioti, sem contar um hilário J.K Simmons.

Melhor Dramatização, Curta (Melhor Episódio de Série)

  • Doctor Who, “Fugitive of the Judoon”, escrito por Vinay Patel e Chris Chibnall, direção de Nida Manzoor (BBC) – GLOBOPLAY
  • The Expanse, “Gaugamela”, escrito por Dan Nowak, dirigido por Nick Gomez (Alcon Entertainment / Alcon Television Group / Amazon Studios / Hivemind / Just So) – AMAZON PRIME VIDEO
  • She-Ra and the Princesses of Power, “Heart” (parts 1 and 2), escrito por Josie Campbell e Noelle Stevenson, direção de Jen Bennett e Kiki Manrique (DreamWorks Animation Television / Netflix) – NETFLIX
  • The Mandalorian, “Chapter 13: The Jedi”, escrito e dirigido por Dave Filoni (Golem Creations / Lucasfilm / Disney+) – DISNEY+
  • The Mandalorian, “Chapter 16: The Rescue”, escrito por Jon Favreau, dirigido por Peyton Reed (Golem Creations / Lucasfilm / Disney+) – DISNEY+
  • The Good Place, “Whenever You’re Ready”, escrito e dirigido por Michael Schur (Fremulon / 3 Arts Entertainment / Universal Television, a division of Universal Studio Group) – NETFLIX

Comentários: Podemos ver que a premiação tem alguns favoritos. Não é a primeira vez que vemos essas séries por aqui, e com exceção de Doctor Who, porque estou bastante atrasado nas temporadas, assisti todos os indicados. A segunda temporada de Mandalorian foi muito divertida, assim como She-Ra e as Princesas do Poder, que teve um final maravilhoso. Por falar em final, terminei recentemente a série The Good Place, então está bem fresca na memória e posso dizer que aquele final foi bem emotivo, mas sem perder a graça. E para quem me conhece, sabe que vou soar como um disco arranhado, mas The Expanse é incrível, e Gaugumela foi uma aula de roteiro e direção, sem contar que foi, de longe, o episódio com as melhores atuações da série. 

Se você quiser saber mais sobre as MELHORES SÉRIES de 2020, temos um vídeo no canal do Primeiro Contato com a retrospectiva das melhores e piores séries de ficção científica do último ano:

Melhor Jogo (Video-game)

Essa é uma nova categoria.

  • Animal Crossing: New Horizons (Publisher and Developer: Nintendo)
  • Blaseball (Publisher and Developer: The Game Band)
  • Final Fantasy VII Remake (Publisher Square Enix)
  • Hades (Publisher and Developer: Supergiant Games)
  • The Last of Us: Part II (Publisher: Sony Interactive Entertainment / Developer: Naughty Dog)
  • Spiritfarer (Publisher and Developer: Thunder Lotus)

Comentários: Eu admito que não sou muito fã dos jogos atuais, principalmente aqueles com grande detalhe gráfico. Sou do tipo “jogo de plataforma 2d direto ao ponto”, então alguns dessa lista não posso opinar, e outros eu nem conheço ou tenho dinheiro pra jogar (adeus, Animal Crossing, saudade do que nunca tive).

Prêmio John W. Campbell Award para Melhor Escritor Estreante

  • Lindsay Ellis (primeiro ano elegível)
  • Simon Jimenez (primeiro ano elegível)
  • Micaiah Johnson (primeiro ano elegível)
  • A.K. Larkwood (primeiro ano elegível)
  • Jenn Lyons (segundo ano elegível)
  • Emily Tesh (segundo ano elegível)

Lodestar Award para Melhor Livro YA (Young-Adult)

* Alguns dos livros já foram lançados ou possuem distribuição confirmada no Brasil, então esses foram deixados com a editora original e a editora nacional, em itálico.

  • Cemetery Boys, de Aiden Thomas (Swoon Reads) – Galera Records
  • A Deadly Education, de Naomi Novik (Del Rey)
  • Elatsoe, de Darcie Little Badger (Levine Querido)
  • Legendborn, de Tracy Deonn (Margaret K. McElderry/ Simon & Schuster Children’s Publishing) – Intrínseca
  • Raybearer, de Jordan Ifueko (Amulet / Hot Key)
  • A Wizard’s Guide to Defensive Baking, de T. Kingfisher (Argyll Productions)

Este foi mais um ano em que o Hugo Awards tem uma lista de indicados bastante diversa. É interessante ver a quantidade de mulheres nas principais categorias, o que mostra como a premiação segue um caminho mais aberto para representações e pontos de vista diferentes. Assim que os vencedores saírem, voltamos com a lista atualizada!

Leia a lista completa

Para mais conteúdo sobre o universo da ficção científica, siga o Primeiro Contato Scifi nas redes sociais e no canal:


Próximo post:O Homem Ideal (Ich bin dein Mensch, 2021) | A complexa relação entre mulher e máquinaPost anterior:Bliss: Em Busca da Felicidade (2021) | Quantas realidades somos capazes de suportar?

Posts Relacionados

Comentários